O que é monocultura e quais são as suas consequências?

No final do mês de Agosto o mundo inteiro ouviu falar sobre o aumento do desmatamento na Amazônia. Tanto a imprensa nacional quanto a internacional relataram as consequências desastrosas que as medidas do governo estão causando no meio ambiente, e com isso ressurgiu também a discussão sobre a importância de valorizar a natureza e os métodos agroecológicos de cultivo. 

O que é monocultura?

Hoje a monocultura em grandes latifúndios, prática que consiste em plantar apenas um tipo de cultivo em grandes propriedades pertencentes a uma única pessoa ou empresa, é a forma mais comum de cultivo no Brasil. A soja é um dos principais produtos de exportação, sendo extremamente lucrativa. Entretanto, o crescimento do agronegócio é também um dos principais motivos para desastres ambientais como as queimadas, e por isso nós nos posicionamos contra esse tipo de atividade.  Para explicar melhor sobre as diferenças entre a monocultura, que nós somos contra, e o modelo agroecológico, que nós defendemos, decidimos falar um pouco sobre 3 consequências.

Consequências da monocultura

1. Desmatamento

A monocultura é instaurada através da substituição da cobertura vegetal original por outro cultivo. Na prática, isso significa que é necessário derrubar ou até mesmo queimar a mata. Assim, são desmatadas grandes áreas, e com isso tanto a fauna quanto a flora e os serem humanos sofrem as consequências. Os animais passam a ter dificuldades para se alimentar, as plantas não conseguem mais crescer nesse ambiente, o solo sofre erosão e todos sofrem com as mudanças climáticas que surgem como consequência.

2. Uso de agrotóxicos

Já falamos aqui no blog sobre os perigos dos agrotóxicos para a saúde e o aumento do uso dessas substâncias no Brasil. Quando falamos em monocultura não podemos esquecer que uma das características principais é o uso de agrotóxicos, isso acontece porque as espécies cultivadas não possuem inimigos naturais, e assim elas acabam precisando de mais proteção contra pragas. Além disso, o foco no lucro também incentiva o uso desses defensores, que acaba contaminando tanto a produção quanto o solo e os rios.

3. Desgaste do solo

A monocultura interrompe o processo natural de reciclagem dos nutrientes do solo, assim ele se torna pobre e perde a sua produtividade natural. Esse desgate é extremamente prejudicial ao meio ambiente e pode levar à criação de desertos em lugares que antes eram conhecidos por suas belas árvores e vegetação. Como vimos no caso da Amazônia, o planeta inteiro perde quando transformamos florestas em terras improdutivas e desertas.

Qual é a solução?

As notícias que chocaram o mundo em Agosto nos mostram a necessidade de pensar em soluções para esse tipo cultivo. Além de pressão governamental para uma maior fiscalização, nós acreditamos que também é necessário que todos aprendam sobre a policultura, ou seja o cultivo de diversas espécies em um mesmo local, e os princípios da agroecologia para saber mais sobre preservação das florestas. Sabemos que ações individuais não vão consertar o problema, mas acreditamos no poder da agricultura local, orgânica em pequena escala. O nosso propósito como empresa é viabilizar a agricultura urbana transformando todos, sim mesmo quem nunca plantou nada, em cultivadores! Quer saber como começar a sua hortinha? Deixe o seu e-mail aqui em baixo para saber quando vamos lançar o nosso e-book sobre planejamento de hortas. Nos acompanhe também aqui no blog e no nosso Instagram para receber mais dicas.

[siteorigin_widget class=”WP_Widget_Custom_HTML”][/siteorigin_widget]
Posted in Agricultura Urbana and tagged , , , , , , , , .