Como cuidar de uma horta? 3 dicas importantes

como-cuidar-de-uma-horta

Se você nunca plantou em casa é normal ter muitas dúvidas sobre o processo e diversas inseguranças na hora de começar, é normal se perguntar: como cuidar de uma horta?

Já falamos aqui no blog sobre porque contribuir com o movimento da agricultura urbana e elencamos algumas dicas importantes para a escolha do local e a escolha dos cultivos, agora vamos falar um pouco sobre os cuidados básicos que todas as plantas precisam, para mostrar que ter uma hortinha não é uma tarefa tão difícil quanto parece: todos podem e devem plantar em casa.

De modo geral, o crescimento e desenvolvimento das plantas está relacionado a três fatores: genética, ambiente e cuidados. Depois de escolher o local e o que será plantado, é hora de pensar na parte dos cuidados básicos, pois esse é o fator que podemos controlar no nosso dia a dia. Por isso, dividimos essa etapa em 3 dicas importantes:

1. Adubação e manejo do solo

Temos um artigo aqui no blog sobre como preparar o solo ideal para a sua horta onde compartilhamos uma receita que mistura terra vegetal, húmus de minhoca, areia e esterco, explicando a importância de cada um desses materiais. Mas, além desse preparo, é importante sempre notar se o solo continua saudável, pois é através deles que as suas plantas absorvem os nutrientes necessários para se desenvolver. Como você pode notar isso? Fizemos uma lista de sintomas para te ajudar:

  • Deficiência de Nitrogênio: Amarelecimento generalizado das folhas velhas, redução de crescimento, baixa produção.
  • Deficiência de Fósforo:  Menor crescimento aéreo e radicular, cor púrpura nas folhas mais velhas.
  • Deficiência de Potássio:  Queima do bordo nas folhas mais velhas. 
  • Deficiência de Magnésio: Clorose internerval das folhas velhas. 
  • Deficiência de Cálcio: Pequeno desenvolvimento do sistema radicular e podridão dos frutos. 
  • Deficiência de Enxofre: Amarelecimento generalizado das folhas novas. 
  • Deficiência de Boro: Inibição do crescimento da parte aérea e das raízes, encurtamento dos internódios, folhas/frutos pequenos e deformados. 
  • Deficiência de Zinco: Encurtamento dos internódios e a folha torna-se pequena, faixas amarelas ou brancas entre as nervuras e bordo das folhas novas. 
  • Deficiência de Manganês: Clorose da superfície das folhas jovens, podendo progredir entre as nervuras. Sintomas podem varias em função da espécie. 
  • Deficiência de Ferro: Clorose nas partes jovens da folha, mantendo apenas as nervuras verdes, que após algum tempo até as nervuras tornam-se cloróticas. 
  • Deficiência de Cobre: Os sintomas variam segundo cada espécie e podem não ser tão fáceis de se identificar quanto aos de outros micronutrientes.
  • Deficiência de Molibidênio: Ocorre uma clorose internerval, semelhante à deficiência de Mn, em que as margens das folhas tendem a curvar-se para cima ou para baixo.
  • Deficiência de Cloro: Murchamento, clorose, bronzeamento e deformação da folha novas ou velhas, depende da espécie. As raízes também se desenvolvem menos, ficando grossas e sem as laterais. 

Para solucionar essas deficiências é importante adubar a terra com matéria orgânica, como adubo, compostagem e folhas secas, uma composteira feita em casa, por exemplo, pode ser uma boa opção para que você sempre tenha acesso ao adubo, além de ser uma ótima forma de reduzir o seu lixo.

2. Irrigação

Não existe uma regra única para a frequência de irrigação da sua horta, porque isso vai variar de acordo com o tipo de planta, a região e o clima, mas o importante é que o solo esteja sempre úmido. Se o clima estiver mais seco o ideal é regar todos os dias, já se estiver mais úmido você pode reduzir a quantidade de regas, o importante é sempre notar como está a terra, além disso de preferência para irrigar no início da manhã ou final da tarde.

Sabemos que um dos maiores problemas para quem planta em casa é esquecer de regar, ou até mesmo regar em excesso, por isso desenvolvemos uma solução tecnológica que possibilita o controle da rega e o monitoramento do seu ambiente de cultivo através do celular. Com o Workerbee nós solucionamos esses problemas, e você pode se focar em outros cuidados básicos na sua hortinha!

3. Identificando e eliminando pragas e doenças

Por último, mas não menos importante, você deve ficar atento ao surgimento de pragas e doenças. Muitas vezes, mesmo tomando os cuidados básicos, os seus cultivos não se desenvolvem como deveriam, e nessa hora é preciso ter calma e analisar bem o que está impedindo o seu crescimento. Para te ajudar já temos um artigos que foca na identificação de doenças e pragas e outros com receitas para combater fungos e eliminar lesmas e caracóis de forma natural.

Sabemos que pode ser frustrante perder o resultado do seu trabalho por causa de uma praga ou doença, mas não desanime: plantar, como qualquer outra habilidade, exige prática e estudo, e você com certeza vai melhorar cada dia mais. Então anote tudo que você aprende, procure informações em fontes confiáveis e converse com pessoas que entendem do assunto, aos poucos você vai perceber que além de ser uma atividade muito prazerosa a agricultura urbana também é muito recompensadora!

Ficou com alguma dúvida sobre esse processo ou quer saber mais sobre como cuidar de uma horta?  Acesse a Quarentena Verde e descubra um espaço com conteúdos gratuitos ou mande mensagens nas nossas redes sociais, faremos te tudo para te ajudar.

Posted in Uncategorized and tagged , , , , , .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *